quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Primeira Flor

Dorme com Deus
E acorda com um sorriso lindo
Tendo-me em teus pensamentos
Que dormem agora comigo...
Sonhos de sentir
Plantam voz no silêncio,
Desprendem o ar
Do sumidouro.
Olhos em vão reacendem:
O tanto do tato tolhido.
Superfícies e invólucros rompem-se
Com o fogo do mistério universal
Invadindo.
Terra verdejante em meu peito seduzido,
Ardendo noite que fora esquecimento.
Primeira flor essa surpresa - nada alheio,
Tudo vivo,
Cada sorte em seu destino.
Estrela em meu ouvido,
Capacidade de tentar
Quando a memória é falha - morta, jamais!
Deslize profundo de desejo
Feito mãos enraizadas na Alma da pele.
A sede que brotou espera
Saciou-se
No pingo da aurora.
Todo coração cansa de bater só.
Deito meu peito ao teu
E destruímos prisões!

3 comentários:

Ritinha disse...

Bom dia!!
Sou nova nesse seu cantinho, mas adquiri um carinho imenso, venho nas manhãs, e gosto do jeito que expõe seus pensamentos e ideais.
Bom demais!
Vou estar longe por um tempo, mas sempre que puder, lhe visitarei.
bjs
Ritinha

Leila Silveira disse...

João, tua escrita esta enlevada... batendo junto com o peito. bjo

Kaka Stelê disse...

Boa tarde João,
Muito lindo...você escreve muito bem,dá até vontade ler de novo ( e vou ler mesmo!)

Abraços