segunda-feira, 21 de outubro de 2013

No Verão da Existência

Quero morrer
Fazendo Amor
Sobre a minha velha companheira,
Vida.
Nas coisas ruins não há ordem.
Só há regência no Amor.
Seja no Amor, seja na Guerra:
Ame o seu dia!
Há sempre uma surpresa
Quando destruímos o mundo geral
E descobrimos o motivo de aqui estarmos.
Após o Despertar do Espírito,
Mesmo a Dor tem sabor e perfume de Flor.
Pequenas Primaveras da Alma
O meu corpo e o meu refletir
Exalam
Por olhos,
Boca,
Poros.
E no Verão da Existência
A Sinfonia da Vida é entoada
Consciente e inconscientemente
No trabalho Artístico de aceitar e evoluir,
Revolucionando tudo
Que ao meu redor quiser,
Junto, vir!

Um comentário:

Kaka Stelê disse...

Oi João,sábias palavras...seja o momento que for devemos amar cada dia,pois é mais uma chance que temos de viver e aproveitar,gostei muito do final também:"aceitar e evoluir,
revolucionando tudo
que ao meu redor quiser,
junto, vir!"

Parabéns
Abraços
Estrela,Flores...Melancia